O conceito de responsividade na Terapia Analítico Comportamental e suas implicações para a pesquisa de processo-resultado

  • Priscila Ferreira de Carvalho Kanamota
  • Ana Carmen F. Oliveira
  • Walquiria Lino da Silva Morais
  • Denis Roberto Zamignani
  • Roberta Bianca Marcelino de Almeida
  • Anna Carolina Ramos
  • Ananda Pantet
  • Aline David de Oliveira
  • Lucas Murta de Andrade
  • Natasha Hayamizu
  • Bernardo Dutra Rodrigues
Palavras-chave: responsividade, análise do comportamento, spciterapia analítico-comportamental, pesquisa em psicoterapia

Resumo

 

A clínica psicoterápica apresenta diversas demandas ao terapeuta, que vão desde as questões teóricas, relacionadas à abordagem adotada pelo profissional, até aquelas relacionadas ao cliente – suas características pessoais, demandas clínicas, expectativas com relação ao tratamento etc. Identificar como e quando responder a todas essas demandas é um desafio para o psicólogo, que deve ser responsivo às diferentes necessidades do caso clínico, visando a melhora do cliente. O presente artigo tem como objetivo conceituar o termo responsividade com base na visão analítico-comportamental e apresentar alguns aspectos relevantes para a sua consideração na produção de pesquisas no contexto clínico. Para isso, é apresentada a origem do termo, as definições do conceito de acordo com diferentes abordagens teóricas, o entendimento do conceito com base na perspectiva analítico-comportamental e sua importância para a pesquisa em psicoterapia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-01
Como Citar
Kanamota, P. F. de C., Oliveira, A. C. F., Morais, W. L. da S., Zamignani, D. R., de Almeida, R. B. M., Ramos, A. C., Pantet, A., de Oliveira, A. D., de Andrade, L. M., Hayamizu, N., & Rodrigues, B. D. (2019). O conceito de responsividade na Terapia Analítico Comportamental e suas implicações para a pesquisa de processo-resultado. Perspectivas Em Análise Do Comportamento, 10(1), 114-128. https://doi.org/10.18761/PAC.TAC.2019.016